A rota dos cafés especiais na Serra do Caparaó – Voupranos

A rota dos cafés especiais na Serra do Caparaó

No dia 24 de maio é celebrado o Dia Nacional do Café e o Dia do Barista. Essa data agrada especialmente aos amantes de café em todo o Brasil, pois destaca a relevância dessa bebida tão popular e a habilidade dos profissionais que a preparam. É uma oportunidade para reconhecer e valorizar o trabalho dos baristas, que tornam a experiência de tomar um café ainda mais especial.

Cafezais nas encostas da Serra do Caparaó – Tales Azzi/Editora Europa

O café é uma das principais commodities do mundo, sendo uma das bebidas mais consumidas em todo o planeta. No Brasil, além de ser um produto de grande relevância econômica, é um dos principais itens da pauta de exportação do país. É por isso que a ABIC (Associação Brasileira da Indústria de Café), em 2005, instituiu o 24 de maio como o Dia Nacional do Café. É uma forma de homenagear a história e a cultura do café em nosso país, que é o maior produtor e exportador da bebida no mundo. E não é só no Brasil que o café é celebrado. No dia 14 de abril, comemora-se o Dia Mundial do Café, criado pela Organização Internacional do Café (OIC) em 2015.

No Brasil, há alguns locais consagrados que viraram atração turística justamente por conta da história do café. O mais conhecido é a Bolsa Oficial de Café, no centro histórico de Santos. O prédio histórico, construído no começo do século 20, sediou a as principais transações comerciais do café chegava ao porto até a década de 1960. Atualmente, o prédio histórico, que tem lindas pinturas de Benedito Calixto, abriga um museu que conta a história do café e da própria Bolsa.

Café Onofre – Distrito de Forquilha do Rio – Tales Azzi/Editora Europa

A cafeteria que existe dentro da Bolsa do Café é possível provar cafés de diversas regiões do Brasil, com grãos moídos na hora. Além disso, é um lugar repleto de charme e elegância, que remete ao estilo da Belle Époque, época em que o prédio foi construído. A decoração é sofisticada, com móveis e objetos de época, que ajudam a transportar o visitante para outra época.

Já no Espírito Santo, o distrito de Forquilha do Rio, no município de Dores do Rio Preto, região da Serra do Caparaó, abriga a Rota dos Cafés Especiais. Dizem por lá que o melhor café do Brasil é produzido nessa região devido a diversos fatores: o clima frio e úmido, a altitude, o terroir e as técnicas de cultivo da 5o geração de produtores.

Ao longo dos últimos 8 km da estrada do distrito de Forquilha do Rio, próximo à entrada do Parque Nacional do Caparaó, é possível ver alguns os cafezais que formam paisagens geométricas nas encostas das montanhas. De alguns deles já saíram cafés que ganharam por cinco vezes o prêmio Coffee of The Year Brazil, uma espécie de Oscar do café brasileiro. O mais curioso é que, só há uma década, os produtores familiares da região descobriram que o café do tipo arábico produzido por lá tinha tamanha qualidade. Tudo começou em 2010, quando o cafeicultor Onofre Lacerda venceu um concurso regional e, a partir dali, começou a empilhar troféus de premiações, incluindo o Coffee of the Year em 2016 e 2018.

Produtores de café especiais de Dores do Rio Preto – Tales Azzi/Editora Europa

Na Cafeteria Família Onofre, às margens da estrada, você pode provar o famoso café do Caparaó. O preparo é cuidadoso. O grão é moído na hora. O pó e a água são pesados para correta proporção dos ingredientes e a extração pode ser feita de diversas maneiras ao gosto do freguês: em cafeteira italiana, francesa, filtro ou expresso.

Recomenda-se não colocar açúcar para que se possa perceber os aromas da bebida. Para acompanhar, há bolos caseiros: milho, limão, chocolate e nata. Vale conhecer também a Cafeteria Família Protásio, do simpático Manoel Protásio, outro expoente do bom café capixaba.

Publicado em: 24/05/2023
Atualizada em: 25/05/2023
Quero contribuir com essa matéria dos Voupranos

Brasil