Um roteiro completo para explorar as atrações de Praga – Voupranos

Um roteiro completo para explorar as atrações de Praga

Adobe Stock: Ponte Charles, Praga -Noppasinw

Praga, capital da República Tcheca, esbanja charme, história e cultura. Com alma própria, a cidade é uma ótima alternativa para quem já esteve em Paris, Madri, Londres e Roma. Afinal, quem faz o roteiro contrário e conhece primeiro a capital tcheca encontra tantas atrações incríveis pela frente que corre o risco de não achar as vizinhas europeias tão extraordinárias.

Tudo isso parece romântico demais para ser verdade, mas só quem conhece a capital checa sabe o quanto ela é assim mesmo. Casais, jovens, famílias com crianças. Não importa a idade: todos se apaixonam por Praga.

Confira as principais atrações da capital tcheca.

Praça da Cidade Velha

Em Praga, tudo acontece no bairro de Stare Mestro, ou Cidade Velha, que concentra as mais famosas atrações da capital Tcheca, além de restaurantes, teatros e lojinhas para fuçar. Caminhar pelas ruas tortuosas do bairro é o que todo mundo mais gosta de fazer.

Artistas e músicos exibem-se nas ruas pintando quadros e tocando jazz diante de uma legião de turistas que vai e vêm. Bares funcionam até tarde da noite e há sempre alguma cozinha aberta pronta para servir um bramborók, espécie de panqueca de batatas, famosa em todo o país.

Um ponto de convergência é a Praça da Cidade Velha, uma das mais belas do mundo, cercada por cafés que funcionam em edifícios históricos de diversos estilos arquitetônicos. Tem de tudo: barroco, gótico, renascentista, rococó, art noveau e neoclássico.

Adobe Stock: Cidade Velha, Praga – Adisa

Adobe Stock: Cidade Velha, Praga – Jenifoto

Relógio Astronômico

Ali perto, no antigo prédio da prefeitura, está o famoso Relógio Astronômico, que tem uma série de anéis dourados que poucos conseguem decifrar.

O mecanismo aponta não somente horas, mas também o movimento do sol e da lua em relação aos 12 signos do zodíaco. A cada hora cheia, uma ferramenta aciona bonecos animados que desfilam diante dos olhos extasiados dos visitantes.

Adobe Stock: Relógio Astronômico, Praga – D.Dominguez

 

Adobe Stock: Relógio Astronômico, Praga – Jenifoto

Preciosidades arquitetônicas

Outras preciosidades arquitetônicas de Praga estão na Rua Celetná, como o Obeceni Dum, que significa Ópera Municipal, e o Teatro States. Foi nesse local que se apresentou pela primeira vez a ópera Don Giovani, em 1787, regida pelo próprio autor, um certo Amadeus Mozart, então uma jovem promessa da música clássica.

Adobe Stock: Obecni Dum, Praga – Mistervlad

Ponte Carlos IV

Praga é cortada pelo Rio Moldávia. Em suas margens, há bancos para quem quiser passar um tempo olhando o cenário que parece saído de um conto de fadas. O rio separa a Cidade Velha de outro bairro igualmente importante, o Hradcany, quase todo ocupado pelo Castelo de Praga.

Para atravessar o rio, há diversas pontes centenárias de pedras, como a Carlos IV, reservada aos pedestres e ornamentada por esculturas sacras dos dois lados. É ponto de artistas e ambulantes e tem sempre muito movimento de turistas, que ficam indo e voltando seja para visitar o castelo, seja pelo simples prazer de fazer parte da paisagem.

Adobe Stock: Ponte Carlos IV, Praga – Boris Stroujko

Adobe Stock: Ponte Carlos IV, Praga – Rastislav Sedlak SK

Adobe Stock: Rio Vltava, Praga – Svitlana Belinska

Castelo de Praga

Construído no século 9, no alto de uma colina, o Castelo de Praga tem meio quilômetro de extensão e o tamanho de um pequeno bairro, com ruas e alamedas internas. Ocupado por conventos, basílicas, uma catedral e até pela sede do governo tcheco, a fortificação é uma das mais belas da Europa.

A troca de guarda da entrada do castelo, ao meio-dia, acontece ao som de bandinha e fanfarra. Não se deve perder. Assim como vale disputar espaço em frente à casa 22 do complexo, onde viveu o escritor Franz Kafka, filho ilustre da cidade e autor de A Metamorfose.

Adobe Stock: Moldau und Karlsbrücke, Praga – Andrzej2012

Cidade Baixa

O bairro que separa o castelo do Rio Moldávia merece um passeio detalhado. Chamado de Malá Strana, ou Cidade Baixa, é a parte de Praga que mais se manteve no passado – e coloca passado nisso. Desde 1257, a região abriga povoados e recebe pessoas em volta de sua praça principal, onde desponta esplendorosa a Igreja de São Nicolau.

Malá Strana é um ótimo lugar também para fazer compras, comer e beber cerveja, prática quase religiosa na República Tcheca. O bairro é repleto de lojas, tavernas e restaurantes, muitos deles espalhados pela Rua Nerudova, batizada assim em homenagem ao poeta Jan Neruda.

Adobe Stock: Igreja de São Nicolau, Praga – Rh2010

Adobe Stock: Igreja de São Nicolau – Aterrom

Josefov

O bairro judaico abriga cinco sinagogas e o Velho Cemitério Judaico, o mais bem preservado da Europa. A Avenida de Paris, que o corta, tem o metro quadrado mais caro da cidade e concentra lojas de grifes famosas. É lá também que ficam o Rudolfinum, sede da Orquestra Filarmônica de Praga.

Adobe Stock: Velho Cemitério Judaico, Praga – Efesenko

 

Adobe Stock: Velho Cemitério Judaico, Praga – Sphraner

Cidade Nova

A região da Cidade Nova (Nové Město) abriga os três maiores prédios neorrenascentistas de Praga, a Ópera Estatal, o Museu Nacional e o Teatro Nacional, este último com uma cúpula de vidro moderna. Lá também há praças históricas, como a Venceslau, que mais parece um jardim.

Adobe Stock: Monumento Josef Hlavka, Praga – Efesenko

Adobe Stock: Praga – Alexanderuhrin

Publicado em: 06/07/2023
Atualizada em: 13/07/2023
Quero contribuir com essa matéria dos Voupranos

República Tcheca