Duas cidades incríveis para conhecer nos arredores de Praga – Voupranos

Duas cidades incríveis para conhecer nos arredores de Praga

Adobe Stock: cidade de Karlovy Vary – Aliaksandr

Vale a pena explorar os arredores de Praga em viagens de um dia com ou sem pernoite, rumo a cidades históricas cujo charme só a região central da Europa é capaz de oferecer. É o caso de Karlovy Vary e Kutná Hora, onde tem a oportunidade ímpar de vislumbrar paisagens pitorescas que a maioria dos olhos só está acostumada a ver no cinema.

Karlovy Vary, por exemplo, é uma das cidades de águas termais mais famosas da Europa. Já Kutná Hora é uma cidade que cresceu a partir do minério e abriga uma curiosa igreja feita de ossos.

Adobe Stock: Karlovy Vary, – Evgeni

Veja o que fazer nos arredores de Praga.

Karlovy Vary

Situada a 140 km a oeste de Praga, às margens do Rio Tepla, Karlovy Vary é uma importante fonte de águas termais na República Tcheca. A cidade contempla magníficas construções do século 19 que, uma ao lado da outra, se descortinam pela paisagem mesclando com estilos art nouveau, art decò, clássico e barroco.

Comece o passeio pelo Balneário 5, prédio que divide a parte mais antiga da parte moderna da cidade. Trata-se de um dos seis complexos termais de Karlovy Vary que, durante muitos anos, abrigaram monarcas, militares e hóspedes ilustres em busca de efeitos curativos sobre o sistema nervoso.

Depois, caminhe até as colunatas que interligam os balneários. Construídos para proteger os hóspedes que saem das termas, esses corredores cobertos são a marca registrada da cidade e levam a fontes como a número 1, no centro.

Batizada de Vridlo, é um gêiser que lança jatos d’água a 17 metros de altura, a 72 graus. Para que os visitantes provem o “líquido milagroso”, há fontes secundárias em que a água é resfriada e chega a menos de 30 graus.

Adobe Stock: Karlovy Vary-Karlsbad. Panorama do centro da cidade de Karlovy Vary – República Checa – Devnenski

Adobe Stock: Cidade colorida Loket no outono sobre o rio Eger – Daliu

Kutná Hora

Além de Karlovy Vary, outra cidade que vale a pena ser visitada a partir de Praga é Kutná Hora, declarada como Patrimônio Histórico pela Unesco em 1995.

O ponto alto do passeio é a Capela de Todos os Santos, localizada no bairro de Sedlec, cujo acesso se dá pouco antes do centro da cidade. Construída no século 14 sobre um antigo cemitério, a edificação é decorada com mais de 60 mil ossos humanos.

O ossuário macabro foi criado por um monge quase cego que, por não ter o que fazer com os ossos retirados do cemitério, decidiu empregá-los no altar, em castiçais e candelabros, nos lustres, em torres e em brasões das famílias mais influentes da região.

Adobe Stock: Iglesia de Todos os Santos e Osario em Kutná Hora, República Checa – IVÁN V. GARCÍA

Bem ao lado da Capela de Todos os Santos está outro símbolo da cidade, a Catedral de Nossa Senhora da Assunção. Originalmente gótica, a igreja foi incendiada por exércitos protestantes em 1421 e reconstruída no século 17 em um original estilo barroco-gótico. Diversas exposições são realizadas por lá entre abril e outubro, quando suas portas ficam abertas.

Kutná Hora também ganhou fama com a exploração de minérios. Graças à abundância da prata em seu solo, transformou-se em uma das cidades mais ricas da região. Era de lá que saia um terço de toda a prata comercializada na Europa e também a moeda Prague Groshen, uma das mais valiosas da história por concentrar o metal precioso em mais de 90% de sua composição.

Essas e outras histórias podem ser revividas no Museu da Mineração que fica no prédio da Italian Court, onde funcionava a casa de fundição tida como uma das mais antigas que se tem notícia no mundo.

Antes de ir embora de Kutná Hora, não deixe de visitar também a Catedral de Santa Bárbara, cujas cinco torres em formato de agulha podem ser vistas de quase todas as partes de Kutná Hora. É o maior cartão-postal local.

Adobe Stock: Panorama de Kutná Hora, República Tcheca – Ladislav_Zemanek

Situada às margens do Rio Vhchlice, a igreja gótica foi construída nos séculos 14 e 15. Por dentro, conta com diversos altares barrocos feitos por jesuítas no século 17 que, embora pomposos, não são capazes de esconder a principal peculiaridade da igreja: em vez de santos, o que mais se vê por lá são afrescos e estátuas que prestam homenagem a mineradores.

Adobe Stock: ST. CATEDRAL DE BÁRBARA – Kutna Hora – Ivan Rusek

Adobe Stock: castelo medieval de Zleby, República Tcheca – JackF

Outros destinos

Caso tenha tempo, aproveite para visitar outros destinos da República Tcheca. Um bom passeio pode ser feito em Pilsen, onde surgiu o tipo de cerveja mais apreciado pelos brasileiros. Como não poderia deixar de ser, é lá que é feita a marca da bebida mais famosa da região, tida por muitos especialistas como a melhor do mundo: a Pilsner Urquell.

Vale a pena também colocar no roteiro Karlštejn. A grande atração local é o castelo. Conhecida como a fortaleza inconquistável, a edificação medieval foi construída no século 14 por Carlos IV para guardar as joias da coroa e relíquias santas. Com diversas paredes revestidas de ouro e pedras semipreciosas, a Capela de Santa Cruz é um dos destaques do local.

Localizada na região da Morávia, ao leste da República Tcheca, Olomouc é mais uma cidade que pode entrar no roteiro. Afinal, o destino conta com castelo medieval, igrejas góticas, fontes barrocas, prédios renascentistas e muito mais.

O ponto turístico mais famoso da região é a Coluna da Santíssima Trindade, monumento situado na praça principal e que foi declarado Patrimônio Mundial da Unesco em 2000.

Adobe Stock: Antiga Praga – Givaga

Publicado em: 05/04/2024
Atualizada em: 05/04/2024
Quero contribuir com essa matéria dos Voupranos

República Tcheca