O que fazer na Ilha da Madeira, um magnífico destino em Portugal – Voupranos

O que fazer na Ilha da Madeira, um magnífico destino em Portugal

Adobe Stock: Camara de Lobos village in Madeila island, Portugal – Cristianbalate

Já faz tempo que os europeus descobriram o que fazer na Ilha da Madeira e fizeram dela um de seus principais balneários de férias. A ilha portuguesa recebe cerca de um milhão e meio de visitantes ao ano, que buscam o conforto de seus muitos resorts. Isso sem contar os passageiros dos navios de cruzeiros, já que a ilha é um tradicional ponto de parada de transatlânticos.

Há sempre um desses gigantes dos mares ancorado no porto de Funchal, a capital. Tal sucesso de público é justificado. A Madeira combina a excelente infraestrutura turística ao devaneio do isolamento, ao fascínio do mar cristalino e ao magnetismo da natureza exuberante.

Apelidada de “Pérola do Atlântico”, a Ilha da Madeira é a maior do arquipélago de mesmo nome, que está a 850 km da costa de Portugal, em meio ao oceano. De Lisboa leva apenas uma hora e vinte minutos de voo, bem mais perto do que se imagina. Trata-se de uma ilha montanhosa, com 56 km de extensão por 27 km em sua parte mais larga. É pequena em tamanho, mas imensa em belezas.

A ilha é o pico de uma montanha submarina que se eleva abruptamente do fundo do mar a quase 2 km de profundidade. O litoral é marcado por falésias rochosas quase verticais, cujos paredões podem chegar até aos 589 metros de altura, como ocorre no Cabo Girão.

O terreno vertiginoso segue em direção ao interior, que se ergue até os 1.800 metros acima do nível do mar no chamado Pico Ruivo, o ponto mais alto da Madeira. No inverno, quem está à beira-mar, molhando os pés na água, a uma temperatura de 17ºC, pode ver o Pico Ruivo branco de neve a menos de 10 km de distância da costa.

O Pico Ruivo e as outras montanhas da Madeira têm as encostas tomadas por matas exuberantes. Há muitas nascentes, e os riachos, que eles chamam de ribeiras, formam cachoeiras às centenas. Dois terços da ilha são reservas naturais. De quebra, o fértil solo vulcânico e a umidade das matas fazem brotar flores durante todas as estações do ano. É como se a ilha vivesse em uma eterna primavera.

Tanto que o símbolo da Madeira é uma flor, a estrelitzia, também conhecida como “ave do paraíso”. Já o mar ao redor da ilha é tão profundo que baleias cachalotes, vez ou outra, podem ser vistas nadando junto aos costões, e os transatlânticos encostam no porto de Funchal bem ao lado da avenida Beira-mar.

Funchal

A maior parte das cidades da Madeira está na porção sul da ilha, onde os paredões costeiros dão vez a inclinações mais suaves. Em uma delas está a capital, Funchal, que já teve enorme importância histórica. Foi o centro do comércio do Atlântico entre os anos 1500 e 1700 e ponto de passagem obrigatória dos navios que comerciavam entre Europa e África.

Para protegê-la dos ataques de piratas, os portugueses construíram a Fortaleza de São Lourenço. A edificação foi reformada nos anos 1800 e ganhou um lugar de destaque no centro histórico de Funchal. Hoje, é a casa do presidente, já que a Ilha da Madeira é uma região autônoma de Portugal.

Funchal ainda recebe muitos navios, mas agora são os cruzeiros que levam turistas pelas mais belas cidades costeiras da Europa. A capital da ilha, no caso, é uma delas. Todo dia há algum transatlântico ancorado no porto, misturando-se ao alto-astral da Promenade, o calçadão à beira-mar que se estende por 5 km até a vizinha vila de Câmera de Lobos.

Ao longo dele estão muitos dos grandes resorts da Madeira, cuja taxa de ocupação média é de 90%. Isso explica o constante movimento de viajantes em toda parte. O auge do movimento se dá no Réveillon, quando toda a Funchal é envolta por uma coroa de fogos de artifício, um show pirotécnico maior do que o de Copacabana.

Qualquer caminhada pelo centro antigo leva ao Mercado dos Lavradores, onde simpáticas senhoras de roupas típicas vendem as flores da ilha. No segundo piso, estão as lojas com as tradicionais frutas cristalizadas da Madeira. Vá lá provar e depois siga para o Café Golden Gate, o mais antigo, aberto desde 1841. Já bem acomodado, observe que não há postes e fios elétricos à mostra nas ruas, pois toda a fiação é subterrânea, justamente para não descaracterizar o charme histórico da cidade.

Os passeios em Funchal seguem em direção às alturas. Um teleférico leva até a parte alta da cidade, onde estão o jardim botânico e a igreja de Nossa Senhora do Monte, sempre cheia de visitantes. Ao lado da igreja fica a estátua de Carlos I de Habsburgo, o último rei da Áustria, que adorava passar férias na Madeira.

Adobe Stock: Aerial drone view of old castle Fortaleza de Sao Tiago. Funchal, Madeira, Portugal – Сергій Вовк

Adobe Stock: Panoramic aerial view on Funchal, Madeira, Portugal. – Сергій Вовк

Adobe Stock: Night scene of Camare de Lobos, illuminated architecture of the town, Madeira island, Portugal – Cristianbalate

Tour pela Madeira

Em um dia inteiro é possível dar uma volta na ilha de carro, pois são apenas 160 km de costa. Mas pouca gente faz isso. É melhor separar o roteiro em dois ou três dias, parando nos principais pontos.

Um deles é Porto Muniz, pequeno vilarejo onde o mar é represado pelas pedras formando piscinas naturais. A água é um pouco fria para os padrões brasileiros, mas os alemães e os escandinavos nem ligam.

De Porto Muniz até São Vicente, na parte oeste da ilha, está um dos trechos mais bonitos, com a estrada passando rente à costa. Quase todo o litoral da Ilha da Madeira é rochoso. As duas únicas praias de areia, em Calhetas e Machico, são artificiais, feitas com material trazido do Deserto do Saara, no Marrocos.

Isso, porém, pouco importa. A ilha é tão bonita e a água tão azul e cristalina que ninguém por lá se priva de um banho de mar. Há muitos pontos para isso, seja na frente dos resorts, seja nos chamados clubes de praia, que existem em diversos pontos da Madeira. São clubes públicos, com restaurante, piscina (com a água do mar represada) e chaise longues para alugar.

A melhor praia, porém, está na vizinha Ilha de Porto Santo, que é tomada por uma faixa de areia fofa de 8 km de extensão, uma das sete maravilhas naturais de Portugal. Um ferryboat sai do porto de Funchal pela manhã rumo a Porto Santo. Dá para passar o dia e voltar. Porto Santo tem um centrinho, diversos resorts e até um aeroporto.

Adobe Stock: Auf dem Weg zur Nordseite von Madeira unterhalb von Porto Muniz mit fantastischem Blick auf den Atlantik – Madeira – Portugal – Oliver Hlavaty

Adobe Stock: Machico Beach, Praia de Machico, Madeira, Portugal, Island – Genioatrapado

O vinho Madeira

O vinho é uma tradição antiga na Madeira e o principal responsável pela fama mundial da ilha. A história da bebida começou nos anos 1500, quando os primeiros vinhedos foram introduzidos pelos portugueses. Os ingleses acabaram tomando conta do comércio do vinho Madeira e compraram as principais vinícolas, entre elas a Blandy’s, uma das maiores, que tem armazém no centro de Funchal.

É possível conhecer a Blandy’s em uma visita guiada na qual se aprende a respeito do processo de fabricação do licoroso e adocicado vinho Madeira, que fermenta em alta temperatura. Um destilado de uva é acrescentado aos tonéis, o que interrompe o processo de fermentação e eleva o grau alcoólico do vinho para cerca de 20º.

Ao longo dos séculos, o vinho Madeira ganhou prestígio na história e nas artes. Sabe-se que George Washington e Thomas Jefferson brindaram a independência americana com cálices da bebida. Em 1815, Napoleão Bonaparte esteve de passagem pela Ilha da Madeira e ganhou, de presente, um barril do vinho. Dizem, porém, que ele não bebeu, achando que pudesse estar envenenado.

Shakespeare faz referência ao vinho Madeira em sua peça Henrique IV, na qual o personagem do Duque de Clarence cumpre sua sentença de morte sendo afogado num tonel de vinho. Ou seja, já faz muito tempo que os sabores (e não apenas as belezas naturais) da Madeira têm sido apreciados pelo mundo.

Adobe Stock: Bottles of Madeira Wine at a street market stall in Funchal, Madeira. Portugal. – Wjarek

CONVITE ESPECIAL

A agência Voupra atende centenas de clientes por dia sempre com o compromisso de oferecer a melhor experiência.

Quando estiver próximo da Avenida Paulista em São Paulo, passe para visitar o escritório da agência e tomar um café! Será interessante você conhecer a ampla estrutura da agência dos seus amigos aqui, os Voupranos.

Endereço: Avenida Paulista,  1079 – São Paulo

O objetivo da agência Voupra é sempre criar um vínculo duradouro com os clientes, proporcionando experiências incríveis, para que essa relação de fato se torne especial por muitos anos.

VEJA TAMBÉM:

O Voupranos possui a missão de ajudar o viajante brasileiro na hora de planejar sua próxima viagem e se informar sobre tudo que acontece de mais importante para o turista do Brasil.

Todos os artigos, notícias e dicas de viagem do Voupranos são preparados por especialistas em turismo, jornalistas e conta com a curadoria da Editora Europa. A atualização é diária e o portal já conta com centenas de páginas com informações dos principais destinos procurados pelo público brasileiro.

O site de notícias Voupranos tem a proposta de ser um portal leve, divertido e empolgante, com a ambição de se transformar em um dos maiores portais do Brasil, com o desejo de mais que informar, levar a alegria e diversão para todo o seu público.

Além dos artigos que funcionam como guias rápidos de cada destino, o portal traz diariamente novas notícias do mundo do turismo. Tudo com foco no viajante, que deseja planejar excelentes férias com o melhor investimento. Visite o Voupranos sempre que desejar explorar um mundo de novidades em muitos destinos.

portal Voupranos é um investimento ambicioso da agência de viagens Voupra, conhecida pelas grandes novidades que implementou no segmento de turismo nos últimos anos, e pelo forte comprometimento com seus clientes, inclusive sendo uma das raras agências com o certificado RA1000 do Reclame Aqui.

Publicado em: 03/01/2023
Atualizada em: 03/01/2023
Quero contribuir com essa matéria dos Voupranos

Portugal