Chapada dos Guimarães e Nobres revelam toda a beleza natural do Mato Grosso – Voupranos

Chapada dos Guimarães e Nobres revelam toda a beleza natural do Mato Grosso

Adobe Stock: Parque Nacional Chapada dos Guimarães – Mato Grosso – Marcio Isensee e Sá

Uma aura de mistério envolve a Chapada dos Guimarães (MT), a 69 km de Cuiabá. Mas é a natureza que dá show de transformismo por lá. Principalmente quando seus gigantescos blocos de arenito vão ganhando colorações cada vez mais avermelhadas com o cair da tarde e se transformam na principal atração local. O mais incrível é que essa vocação para mutações não vem de hoje.

Há 500 milhões de anos, uma camada de gelo cobria tudo. Depois vieram o mar, o deserto e um pasto de dinossauros. Mais recentemente, há 15 milhões de anos, a planície pantaneira foi para o brejo e fez-se a chapada, com suas imensas montanhas em meio ao cerrado, que forrou o antigo fundo do mar camuflando as marcas deixadas pelo choque das ondas nas pedras. Hoje, a hidrografia e as bruscas mudanças de altitude explicam a grande quantidade de cachoeiras, como a emblemática Véu de Noiva, que tem 86 metros e fica bem pertinho da entrada do parque nacional, não sendo necessários mais do que dez minutos de caminhada para dar de cara com o maior cartão-postal da região, rodeado por vegetação e ninhos de araras-vermelhas.

Adobe Stock: Bom Jardim, Mato Grosso – Uwe Bergwitz

Principais atrações

Confira algumas das principais atrações da Chapada dos Guimarães:

Cidade de Pedra

Além desse mirante, a reserva conta com circuitos que podem ser cumpridos na companhia de guias credenciados, mediante agendamento. O roteiro de mais fácil acesso é o da Cidade de Pedra. Basta ir de carro até o início da trilha e andar mais 300 metros a pé para se deparar com as impressionantes formações rochosas esculpidas pelo tempo e um visual magnífico dos paredões.

Adobe Stock: Cidade de Pedra, Chapada dos Guimarães – Alex

Morro de São Jerônimo

Para quem tem bom preparo físico, vale encarar o mais hard dos trajetos, que leva até o Morro de São Jerônimo e exige cerca de sete horas de caminhada, passando por imagens areníticas curiosas, como a Mesa do Sacrifício e o Jacaré de Pedra. Os 30 minutos de subida íngreme no final fazem qualquer um perder o fôlego, mas são muito bem recompensados pela incrível vista em um dos pontos mais altos do parque, a 800 metros do chão.

Adobe Stock: Cidade de Pedra, Chapada dos Guimarães – Alena

Circuito das Cachoeiras

O Circuito das Cachoeiras também é puxado, com mais de 6 km que dificilmente você completará em menos de seis horas. Até porque seria uma heresia acelerar o passo e abrir mão das refrescantes paradas para banho em cinco cascatas, além da gruta Casa de Pedra, esculpida pelas águas do córrego Independência. Historiadores dizem que esse lugar, adornado por inscrições rupestres, foi refúgio de escravos e serviu de abrigo aos homens da Coluna Prestes durante sua viagem pelos sertões do Brasil.

Adobe Stock: Cachoeira Véu de Noiva, Chapada dos Guimarães – Schame87

Adobe Stock: Chapada dos Guimarães, Mato Grosso – Luciano Queiroz

Circuito do Vale do Rio Claro

Já o Circuito do Vale do Rio Claro permite fazer flutuação em corredeiras e mergulhar com peixes nos poços Verde e da Anta. No verão, é um dos melhores programas da região.

Adobe Stock: Chapada dos Guimarães, Mato Grosso – Daniel Arantes

Adobe Stock: Chapada dos Guimarães, Mato Grosso – Daniel Arantes

Serviço

O Parque Nacional da Chapada dos Guimarães abre todos os dias, das 9h às 17h, com entrada gratuita.

Nobres

Abençoado pela natureza, o Mato Grosso conta com diversos outros destinos naturais riquíssimos, além do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, para quem gosta de realizar atividades ao ar livre. Quem pensa que só Bonito, no Mato Grosso do Sul, tem grutas com lagos azuis, rios para flutuação, trilhas com cachoeiras e aquários naturais para mergulhar rodeado de peixes, por exemplo, certamente não conhece a cidade de Nobres, que fica no Mato Grosso, a 150 km de Cuiabá.

Por ser um destino ainda pouco divulgado, suas atrações formam um tesouro ecológico muito bem preservado. No Balneário Estivado, no Recanto Ecológico Lagoa Azul e no Reino Encantado, por exemplo, o turista vive a experiência de nadar com snorkel em piscinas naturais transparentes, cercado de piraputangas, pacus, dourados e piaus.

Adobe Stock: Cachoeira Serra Azul, Nobres – Luciano Queiroz

Adobe Stock: Nobres, Mato Grosso – Johnkennedy

Já no Rio Triste, a pedida é se deixar levar pela correnteza das águas, de um azul-piscina cristalino, flutuando suavemente em meio a arraias, plantas subaquáticas e cardumes de várias espécies. E os aficionados por adrenalina ainda podem praticar boia-cross, subir uma escadaria de 400 degraus até a Cachoeira da Serra Azul e depois descer tudo em uma tirolesa. Isso sem contar a contemplação do pôr do sol na Lagoa das Araras, quando centenas de aves fazem uma algazarra antes de se recolherem nos troncos dos buritis.

Destinos naturais, enfim, não faltam para explorar no Mato Grosso. O estado ainda precisa ser descoberto por muitos brasileiros, que certamente se surpreendem ao se deparar com suas incríveis atrações. Fica a dica para planejar a próxima viagem de férias.

Adobe Stock: Nobres, Mato Grosso – Daniel Arantes

Adobe Stock: Nobres, Mato Grosso – Daniel Arantes

Publicado em: 28/09/2023
Atualizada em: 28/09/2023
Quero contribuir com essa matéria dos Voupranos

Voupra