Saint Martin, o Caribe de luxo que fala francês – Voupranos

Saint Martin, o Caribe de luxo que fala francês

Adobe Stock: St. Martin, Caribe – Napa74

Diz a lenda que os limites da fronteira entre a então holandesa Sint Maarten e a francesa Saint Martin, repleta de luxo, foram estabelecidos por dois corredores, um de cada nacionalidade, que disputaram uma espécie de maratona para ver quem percorreria o maior perímetro da ilha, de 87 km², perdida entre o Oceano Atlântico e as águas translúcidas do Mar do Caribe. O francês teria levado a melhor e arrematado mais de dois terços do território para a coroa de seu país, mas a medida foi revista posteriormente.

De qualquer forma, quando o assunto é sofisticação, St. Martin também sai na frente. Enquanto a porção meridional (colonizada pelo Reino dos Países Baixos) atrai turistas em busca de cassinos, vida noturna agitada e importados a bons preços, no lado setentrional francês a expressão joie de vivre (alegria de viver) ganha toques extras de refinamento em meio a uma atmosfera cheia de glamour, em que prevalece a sofisticação das lojas de grife, dos hotéis de alto nível, dos roteiros exclusivos de iate e dos imbatíveis restaurantes de culinária internacional.

Adobe Stock: St. Martin, Caribe – Aquarius

Marigot, a capital

Basta uma breve caminhada pelas ruas de Marigot, capital de Saint Martin, para conferir as tendências da moda ditadas por marcas como Versace, Jean Paul Gaultier, Gianfranco Ferrè, Hermès, Max Mara, Céline e La Perla, cujos lançamentos se dão ao mesmo tempo que em Paris. Para os narcisos de plantão, também vale dar uma olhada nos últimos lançamentos de cosméticos ainda não vendidos no Brasil.

Ou simplesmente tomar um sorvete tendo como cenário a formosa vista da marina Royale, espontaneamente tão chique que nem a feirinha de artesanato em frente dissipa os ares classe A.

Não à toa, celebridades como Bill Gates, Steven Seagal, Chuck Norris e Sylvester Stallone mantêm casas no local, que serviu de cenário para o filme Velocidade Máxima 2.

Adobe Stock: Marigot, St. Martin – Timsimages.uk

Adobe Stock: Marigot, St. Martin – Uladzik Kryhin

Histórias de velocidade, aliás, parecem ter íntima ligação com a ilha. Além da maratona que teria definido a fronteira entre os dois países, o piloto brasileiro Nelson Piquet aparece na lista de proprietários de embarcações ancoradas na marina Royale.

O que não significa que tudo deva ser dirigido a mil por hora. Muito pelo contrário: para o visitante, a melhor manobra é entregar-se à arte do bem viver francesa e parar no tempo, principalmente quando se está à mesa, usufruindo a mais impecável tradução do conceito slow travel, slow food.

Adobe Stock: Marigot, St. Martin – Sara

Adobe Stock: St. Martin, Caribe – Maridav

Faça seu próprio perfume

Comprar perfumes em Saint Martin é um excelente negócio, sobretudo diante da exclusividade de fazer a própria fragrância combinando quatro entre mais de 300 opções de óleos e essências. A experiência está disponível na perfumaria Tijon, na L’Esperance Road, em Grand Case.

Assim que adentra a casa, o visitante é convidado a sentir o aroma de 21 fragrâncias patenteadas pela Tijon e anotar a sua preferida em uma folha de papel. Quando as células olfativas parecem “viciadas”, basta aspirar um recipiente com grãos de café para as narinas voltarem a operar com excelência.

Em seguida, começa a aula propriamente dita. A partir daí, basta entrar no laboratório e seguir as instruções. Em alguns instantes, o perfume personalizado estará em suas mãos com rótulo no frasco e tudo.

Adobe Stock: Anse Marcel, St. Martin – Steheap

Praias em St. Martin

As praias do lado francês da ilha destacam-se pelo agito e desinibição dos turistas europeus, já acostumados com a prática do topless nos badalados balneários da costa francesa. Mas se você não está disposto a seguir tal costume, não se preocupe: mesmo nas praias naturistas, é possível circular de biquíni sem problemas, desde que máquinas fotográficas, celulares e filmadoras também permaneçam ocultos.

Comece o tour praiano pela Baie Nettlé, que fica próxima à marina e ao forte St. Louis, uma das muitas fortificações da ilha, datada do século 18, de onde se descortina uma das mais belas vistas de Marigot.

Depois, siga até a baía de Grand Case Beach, de ares sofisticados, charmosas lojinhas e restaurantes de arquitetura estilizada, com saída para o mar e ambiente tão refinado que faz muita gente se envergonhar de seus descompromissados trajes praianos.

Adobe Stock: Grand Case Beach, St. Martin – Forcdan

Adobe Stock: Grand Case Beach, St. Martin – Multiverse

Por isso, se quiser despir-se de vez dos pudores, complete o passeio com uma visita, a Orient Beach, a mais badalada de todas as praias, conhecida como a Saint-Tropez do Caribe. É lá onde o agito acontece noite e dia, com ou sem roupa, já que parte da praia é dedicada ao naturismo, em bares com música variada, muita gente descontraída e festas embaladas por DJs renomados.

Também é na Orient que se concentra grande parte das opções de esportes aquáticos da ilha, como parasailing (paraquedas rebocado por uma lancha), jet ski, canoagem, wakeboard, kitesurfe, esqui aquático, vela e flyboard (a grande sensação do momento).

Adobe Stock: Orient Beach, St. Martin – Nicola

Adobe Stock: St. Martin, Caribe – Multiverse

Publicado em: 25/09/2023
Atualizada em: 25/09/2023
Quero contribuir com essa matéria dos Voupranos

Caribe