10 Motivos para conhecer Buenos Aires logo – Voupranos

10 Motivos para conhecer Buenos Aires logo

Pode ser a trabalho, de férias, para fazer compras ou apenas curtir um fim de semana diferente. Não importa. A capital argentina é sempre um excelente destino para quem quer mudar de “aires” em um estalar de dedos. A cidade é cheia de atrações saborosas e rende uma grande viagem sem pesar no bolso. Há muita oferta de voos e, em pouco mais do que um par de horas, você já está pisando na terra do tango e da parrilla. A proximidade torna a capital argentina um destino de viagem internacional bastante prático (cabe até um final de semana prolongado) e acessível, já que os preços dos hotéis e restaurantes no país vizinho estão bastante convidativos para os brasileiros. Se ainda faltavam motivos para conhecer Buenos Aires, aqui vão dez deles.

Casas coloridas do bairro do Caminito, em La Boca – Divulgação Travel Buenos Aires

1 – Explorar o Centro Histórico
Caminhar é a melhor forma de conhecer o centro histórico da capital argentina. As ruas são planas e as principais atrações ficam próximas umas das outras. Em uma única tarde, dá para circular por todos os cartões-postais da região e, claro, tirar muitas fotos. Comece o passeio pela Plaza de Mayo para contemplar a bela arquitetura da Catedral Metropolitana (o papa Francisco rezava missas ali) e a fachada da Casa Rosada, sede do governo federal – seu interior pode ser visitado em tours guiados aos fins de semana e feriados. A poucos passos está o célebre Café Tortoni, aberto desde 1858 na Avenida de Mayo, e o Obelisco da Avenida 9 de Julio, monumento erguido em 1936 para homenagear o quarto centenário da cidade. Por fim, dê uma passada no Teatro Colón, a maior e mais importante casa de ópera da Argentina. Sua acústica é impecável, assim como os detalhes de estilo barroco francês que adornam o teto e os sete andares de camarotes. Também ali há visitas guiadas todos os dias, de hora em hora. Nada se compara, porém, a assistir a um espetáculo. As apresentações, normalmente, vão de março a novembro.

2 – Caminhar pelo bairro de La Boca
Construído por estivadores e imigrantes italianos em torno do que foi o primeiro porto de Buenos Aires, o La Boca é hoje o mais singular bairro da cidade. Sua marca registrada são as coloridas casas de zinco, pintadas sempre em tons vibrantes, do emblemático Caminito, um beco onde, todos os dias, artistas de rua expõem seus quadros enquanto casais dançam tango ao ar livre e churrascarias despertam o apetite com o aroma de suas parrillas. A atmosfera é, sem dúvida, envolvente. Mas os apaixonados por futebol têm outro importante motivo para visitar o bairro: é lá, bem pertinho do Caminito, que fica o estádio La Bombonera, do Boca Juniors. Também há várias atrações próximas do Rio Riachuelo, águas que margeiam La Boca, como o museu de belas artes Quinquela Martín e o acervo de arte moderna da Fundación Proa, que oferece exposições temporárias com vista das docas antigas. E, na hora que a fome apertar, deguste as massas do La Perla, um curioso restaurante-café dos mais tradicionais da cidade.

3 – Encantar-se com o charme da Recoleta
Um dos bairros mais agradáveis de Buenos Aires, a Recoleta cresceu rodeada de luxo. Palacetes de estilo francês do século 19 disputam os olhares com as vitrines de butiques de grife na Avenida Alvear, a mais elegante do pedaço. Na praça principal, aos fins de semana, turistas perambulam em meio à feirinha de artesanato. Já quem aprecia obras mais pomposas deleita-se com as telas impressionistas do Museu Nacional de Belas Artes, cujo acervo conta com quadros de Goya, El Greco e Picasso. Para comer algo, vá ao tradicional café La Biela, que fica de frente para a praça e mantém mesinhas na calçada, ideais para observar o vaivém de pessoas. A atmosfera é descontraída. Mesmo assim, há quem visite a Recoleta só para conhecer seu cemitério. De tão famoso, o local virou ponto turístico e passou até a oferecer tours guiados pelos túmulos de grandes personalidades, a exemplo da ex-primeira-dama Evita Perón. Pode soar estranho visitar um cemitério, mas esse é um dos programas mais populares da capital argentina.

4 – Visitar os Bosques e Bares de Palermo
Bairro mais arborizado e com os melhores restaurantes de Buenos Aires, Palermo, por si só, já justifica uma viagem à capital argentina. Durante o dia, vale visitar o zoológico e alguma de suas áreas verdes, como o encantador Jardim Japonês – suas pontezinhas vermelhas sobre lagos cheios de carpas fazem qualquer um se sentir dentro de uma tela de Monet. Por falar em arte, outra atração de peso é o Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires, ou simplesmente Malba. Seu acervo reúne obras dos mais célebres artistas latinos, como Botero, Frida Kahlo, Portinari e Di Cavalcanti, além da famosa tela Abaporu, de Tarsila do Amaral – sim, embora seja vez ou outra emprestada para exposições no Brasil (a última foi no Masp, em 2019), a tela brasileira mais valorizada no mercado mundial de arte “mora” na Argentina. À noite, Palermo revela sua face mais divertida em restaurantes, bares e danceterias. O epicentro do agito fica nas imediações da Plaza Cortázar, também chamada de Serrano, com destaque para os bares como o Chez Juanito, o Antares e o Olsen, que traz 60 tipos de vodca no menu.

5 – Passear em Puerto Madero
A década de 1990 foi um divisor de águas para a região de Puerto Madero. Na época, a antiga área portuária foi revitalizada, ganhou traços modernos assinados por grandes arquitetos, como o espanhol Santiago Calatrava, e se transformou no principal polo gastronômico de Buenos Aires. Hoje, esse título pertence ao bairro de Palermo, mas seus restaurantes dispostos em um bonito calçadão à beira-rio ainda atraem muitos turistas. O mais conhecido é o Cabaña Las Lillas, que serve o autêntico churrasco argentino. A casa fica na Avenida Alicia Moreau de Justo, que também abriga opções mais econômicas e igualmente tradicionais, como o Siga La Vaca. Seja qual for a sua escolha, após a farta refeição, você certamente vai sentir vontade de queimar calorias dando uma giro pelo bairro. Para isso, as melhores alternativas são o Parque Mulheres Argentinas, a Avenida de los Italianos e o Museu Fortabat, que foi todo feito de vidro para privilegiar a luz natural em meio a obras de Andy Warhol, Chagall, Dalí, Miró, Gauguin e diversos pintores argentinos.

6 – Passar o domingo em San Telmo
Se a sua estada em Buenos Aires inclui um fim de semana, reserve uma parte do domingo para conhecer a feira de antiguidades da Plaza Dorrego, no bairro de San Telmo. Nesse dia, barraquinhas com objetos antigos, artistas de rua, orquestras e dançarinos de tango animam o ambiente. No entorno da praça, há bares centenários e muito charmosos, como o Café Plaza Dorrego. No fim da tarde, quando a feira estiver chegando ao fim, aproveite para caminhar pelo bairro, que um dia foi reduto da elite portenha e até hoje mantém ar de requinte em suas galerias de arte e lojas de antiguidades. Se você não puder visitar San Telmo no domingo, no entanto, saiba que também é possível comprar artigos cheios de estilo em qualquer outro dia da semana. Nesse caso, um endereço não pode ficar de fora da lista: o Materia Urbana. Trata-se de uma cooperativa com cerca de cem designers locais que vendem desde bijuterias e bolsas até joias e roupas moderninhas.

7 – Comer bem
Comer é uma das atividades mais prazerosas de Buenos Aires. E não é para menos. Além do clima ameno e dos passeios a pé, que naturalmente estimulam o apetite, a cidade tem várias especialidades que fazem de sua gastronomia um capítulo à parte. A começar por seus cortes de carne. A chamada parrilla argentina é tão macia e suculenta que muita gente visita a capital só pensando no bife de chorizo do La Cabrera, em Palermo, ou no asado de tira do El Pobre Luis, em Belgrano. Para alívio dos vegetarianos, a cidade também tem a terceira maior colônia italiana do mundo, o que se traduz em excelentes massas. A lista de trattorias se estende por bairros como Retiro, Palermo e Puerto Madero. E nunca faltarão bons vinhos Malbec ou Cabernet Franc argentinos para acompanhar seu jantar. Na hora da sobremesa, aproveite para saborear os sorvetes, alfajores, crepes e tortas folhadas feitos com o tradicionalíssimo dulce de leche local – dificilmente você provará um doce de leite tão saboroso em toda sua vida.

8 – Fazer Compras
Buenos Aires é um bom lugar para fazer compras de roupas de inverno, acessórios de moda e vinhos. Sempre há ofertas interessantes nas lojas da cidade, especialmente na mais famosa rua de compras da cidade, a Calle Florida. Localizada no centro de Buenos Aires, essa via é conhecida por concentrar lojas que vendem roupas de couro e de cashmere a bons preços, além de contar com duas unidades da completa loja de departamentos Falabella. Para quem prefere algo mais refinado, o Shopping Galerias Pacifico abriga diversas grifes internacionais, como Yves Saint Laurent e Dior. Tão glamoroso quanto ele só mesmo o Shopping Pátio Bullrich, na Recoleta. Já em Palermo Viejo, lojas com roupas e acessórios desenhados por estilistas portenhos transformaram a região em um reduto da moda cool, mas também é possível encontrar, na Avenida Córdoba, outlets de Adidas, Nike e Levi’s.

9 – Ver um show de tango
Impossível falar de Argentina sem lembrar do seu ritmo mais apaixonante: o tango. Para entrar no compasso de Gardel, vá ao bairro de San Telmo, que abriga tradicionais casas de show do gênero, como o Bar Sur, na Calle Estados Unidos, e o famoso El Viejo Almacén, na Avenida Independência. No centro, o porão do Café Tortoni também promove apresentações interessantes, mais no estilo pocket. Com ambiente intimista, esses locais representam a alma do tango há décadas, mas são majoritariamente frequentados por turistas. Se você prefere um lugar mais procurado por argentinos, onde o tango seja não apenas uma exibição, como também um convite à dança, opte por uma milonga (espécie de “gafieira” portenha, na qual o povo arrisca o dois pra lá, dois pra cá sem cerimônias). Nesse caso, o La Viruta, no Palermo Viejo, e a Glorieta, em Belgrano, são excelentes. Chegando uma hora antes, dá até para ter uma aulinha particular.

10 – Ir à vizinha Colônia de Sacramento
Na outra margem do Rio da Prata, cruzando a fronteira com o Uruguai, está a bela cidade histórica de Colônia de Sacramento, uma espécie de “Paraty Uruguaia”, com casas de adobe e ruas de pedras. Fundada em 1680, a cidade é um charme só, com bares e bons restaurantes à margem do rio, que de tão grande até parece mar. Há traslados desde Buenos Aires com saídas diárias em barcos, que levam apenas 1h15 na travessia. Dá para ir e voltar no mesmo dia. O terminal de barcos fica no canto norte de Puerto Madero, em frente à Avenida Córdoba.

Publicado em: 03/03/2023
Atualizada em: 06/03/2023
Quero contribuir com essa matéria dos Voupranos

Voupra