A nova Rota do “Vinho de Talha” em Portugal – Voupranos

A nova Rota do “Vinho de Talha” em Portugal

O Alentejo, maior região de Portugal, localizada a cerca de 150 km de Lisboa, é uma das principais regiões produtoras de vinho do país. Essa tradição começou com os romanos há cerca de dois mil anos, quando estes ocuparam a região da Península Ibérica.

Divulgação Turismo do Alentejo

Atualmente, os parreirais espalham-se desde os arredores de Lisboa até a fronteira com a Espanha e o enoturismo se tornou atrativo para os visitantes no Alentejo.

Muitas vinícolas são abertas à visitação e oferecem passeios pelos vinhedos, degustações, almoços harmonizados, aulas de culinária, entre outras
experiências. Cada uma a seu estilo, mais intimista ou com porte industrial, todas compartilham das belas paisagens de morros suaves e parreirais de castas autóctones, como Antão Vaz, Trincadeira e Aragonez, e outras que se adaptaram bem ao clima da região e se tornaram patrimônio local, como a francesa Alicante Bouschet.

A partir de Évora, a capital do Alentejo, é bem fácil conhecer as vinícolas. Os trajetos pela região
são curtos, as estradas planas e os caminhos cheios de vilarejos encantadores. Atualmente, 73 propriedades fazem parte da Rota dos Vinhos do Alentejo. Algumas dessas vinícolas alentejanas mantém uma curiosa tradição e seguem produzindo os milenares vinhos de talha da mesma forma que os antigos romanos faziam sem nenhuma modificação. Nesse processo, as uvas são esmagadas e colocadas em ânforas de barro para a fermentação.

O nome “talha” é derivado do latim “tinalia”, que significa “vasos de grandes dimensões”. No dia 11 de novembro, Dia de São Martinho, é celebrado a festa da “abertura das talhas”, que coincide com o fim da fermentação. O vinho produzido é servido diretamente para as taças através de uma torneira no fundo da talha. O método é igual para brancos e tintos.

Divulgação Turismo do Alentejo

Processo de produção muito tradicional

Agora, a famosa iguaria romana ganhou uma rota turística, que foi batizada de Rota do Vinho de Talha e passa por 22 municípios alentejanos: Aljustrel, Almodôvar, Alvito, Arronches, Borba, Beja, Campo Maior, Cuba, Elvas, Estremoz, Évora, Ferreira do Alentejo, Marvão, Mora, Moura, Mourão, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Santiago do Cacém, Serpa, Viana do Alentejo e Vidigueira. A rota é indicada para quem pretende conhecer (e provar) o vinho que os romanos degustavam, além de visitar adegas, restaurantes e espaços museológicos associados
ao ancestral vinho de talha do Alentejo.

A vinícola Cartuxa, que fica colado à Évora, é uma boa opção bem fácil e prática para quem quiser conhecer um pouco sobre o vinho de talha. Ela está

instalada em um casarão que, no passado, serviu como mosteiro jesuíta. A degustação na Cartuxa acontece em um salão interno ao lado da cave de barricas. No verão, é montado um winebar no pátio para vender os vinhos em taças e petiscos. Mais uma opção de passeio para quem planeja uma viagem a Portugal.

Publicado em: 13/12/2022
Atualizada em: 27/01/2023
Quero contribuir com essa matéria dos Voupranos

Europa