As boas surpresas da Filadélfia, primeira capital americana – Voupranos

As boas surpresas da Filadélfia, primeira capital americana

Adobe Stock: Filadélfia- Andreykr

Primeira capital dos EUA, a Filadélfia é a cidade mais populosa da Pensilvânia. Repleta de atrações, Philly, como é carinhosamente chamada pelos americanos, é linda, tem museus que são um arraso, astral jovem, gastronomia de primeira e ótimas opções de compras.

Como se não bastasse, fica pertinho de Nova York e pode ser combinada num passeio com a Big Apple. Assim, dá para ver o quanto as duas cidades, embora muitas vezes comparadas, são diferentes.

O Independence National Historic Park abriga a história do nascimento dos EUA na Filadélfia. Ali está o Independence Hall, edifício onde a declaração da independência da nação foi escrita em 4 de julho de 1776. O local abrigou por 123 anos o famoso sino que tocou para anunciar a liberdade americana, agora localizado no Liberty Bell Center.

Para quem quer ir fundo na história do país, ainda tem o National Constitution Center, o Franklin Institute e a casa da Betsy Ross, a mulher que confeccionou a bandeira americana. Mas há muitas outras atrações para curtir na Filadélfia.

Adobe Stock: Filadélfia – F11photo

Adobe Stock: Independence Hall, Filadélfia – SeanPavonePhoto

Rocky Balboa

Quem bate o olho de relance na Filadélfia encontra uma espécie de Manhattan em miniatura, com prédios espelhados ao lado do Rio Schuylkill. Mas as semelhanças acabam quando se chega à Benjamin Franklin Ave, projetada para ser a Champs Élysée da primeira capital dos EUA.

Praticamente um parque, a via é toda arborizada, com fontes, estátuas, jardins e esculturas. Em uma de suas extremidades está o Philadelphia Museum of Art, que você provavelmente já viu no cinema.

É lá que fica a escadaria que Silvester Stallone sobe correndo no filme Rocky e abre os braços em sinal de vitória. Tem até uma estátua do astro para você caprichar na foto.

O Philadelphia Museum of Art não é famoso apenas pela escadaria do Rocky Balboa. O museu é gigante, com 227 mil objetos entre pinturas, esculturas, desenhos e objetos de decoração, e está entre um dos maiores dos EUA.

Na outra ponta da avenida, está o City Hall, a câmara municipal. Em sua torre de 167 metros de altura há um observatório, que oferece uma linda vista da cidade.

Adobe Stock: Schuylkill River, Filadélfia – Oleksandr Dibrova

Adobe Stock: Center City, Filadélfia – Sergey Novikov

Adobe Stock: Philadelphia Museum of Art, Filadélfia – Mindaugas Dulinskas

Prisão de Al Capone

A Eastern State Penitenciary é um presídio que funcionou de 1829 a 1971 e mais parece um castelo medieval, com altas muralhas de pedras e torres enfeitadas com estátuas de gárgulas. Nela, os prisioneiros eram instigados ao arrependimento por meio de orações, e as celas tinham claraboias no teto para que eles pudessem pedir perdão aos céus.

O fora da lei mais famoso que passou por ali foi Al Capone, em 1929. O gângster ficou cerca de um ano atrás das grades, o suficiente para a imprensa divulgar que ele tinha toda a mordomia de um hóspede ilustre. Sua cela contava com tapetes orientais, móveis finos, quadros nas paredes e até uma cabine de rádio para comandar os negócios por detrás das grades.

Adobe Stock: Eastern State Penitentiary, Filadélfia – Rachel

Adobe Stock: Luxury cell of inmate Al Capone, Filadélfia – ImagoDens

Barnes Foundation

A Barnes Foundation abriga uma brilhante coleção com obras de Picasso, Matisse e Modigliani. O surpreendente Rodin Museum completa o acervo da cidade com muito charme e pompa.

O edifício no estilo Beaux-Arts tem jardins com esculturas que, junto às exposições no interior, dá vida ao maior museu dedicado a Rodin fora de Paris.

The Barnes Foundation, Filadélfia

Rittenhouse Square

O bairro Rittenhouse Square é o mais elegante da cidade, repleto de hotéis e lojas luxuosas. As ruas 20th e Walnut concentram butiques de grife, como Guess, Antropologie, Intermix e Club Monaco, além do shopping Liberty Place.

Vale caminhar por lá na hora do almoço, fazer umas comprinhas e matar a fome, pois o lugar tem dezenas de restaurantes bacanas, muitos deles no estilo BYOB (bring your own bottle/beverage), que o incentiva a levar sua própria garrafa/bebida.

Ocorre que, como o estado controla a venda de álcool em algumas regiões, boa parte dos estabelecimentos prefere não ter a licença para vender bebidas por causa do alto custo e da burocracia que envolve o negócio.

Adobe Stock: Rittenhouse Square, Filadélfia – Jonbilous

Compras

A Filadélfia manda muito bem em matéria de compras. Tem a Sansom St, mas conhecida como Jeweler’s Row, repleta de joalherias. Outra rua, a Pine St, apelidada de Antique Row, concentra as lojas de antiguidades. E ainda tem a Fabric Row (S. 4th St. e Fitzwater), palco dos vendedores de tecidos.

Como ocorre em toda grande cidade americana, há ainda diversas marcas adoradas por brasileiros na região, a exemplo de Macy’s, Uniqlo e  Century 21. Isso sem contar os outlets nos arredores da cidade, como o Philadelphia Premium Outlets, o King of Prussia Mall (segundo maior do país, atrás apenas do Sawgrass Mills, em Fort Lauderdale) e o Philadelphia Mills.

Adobe Stock: City Hall, Filadélfia – Sborisov

Adobe Stock: City Hall, Filadélfia – Vichie81

Mercado dos fazendeiros

Para conhecer um pouco da cultura local, o Reading Terminal Market é um endereço obrigatório na cidade. Trata-se de um dos mais antigos farmers market do país, aberto em 1892.

Lá você encontra frutas e verduras produzidas na região, doces, geleias, pães e outras iguarias dos Amish, a comunidade de produtores rurais da Pensilvânia, bem como lojas de suvenires e vários restaurantes que servem especialidades locais.

Terminal Market, Filadélfia

Publicado em: 12/05/2023
Atualizada em: 12/05/2023
Quero contribuir com essa matéria dos Voupranos

EUA